A arquitetura sistematiza e racionaliza estudos sobre panejamento e adequação dos espaços, nossas construções, cidades e seus ambientes há milênios.

Desde o tratado De architectura de Vitrúvio, escrito antes de Cristo até a Arte de projetar em arquitetura de Neufert (um manual técnico de 567 páginas – 18a ed.) e todas as recentes publicações técnicas sobre o assunto, muito foi estudado, conhecido, racionalizado e formalizado acerca da adequação dos espaços para a atividade humana.

Ao longo dos séculos várias ciências derivaram da Arquitetura e utilizaram outras ciências para estudar, racionalizar e explicar desde as técnicas construtivas até a salubridade, ergonomia ou cromoterapia (dentre muitas outras coisas) envolvidas em nossas edificações e seus ambientes.

Atualmente, com o isolamento social derivado do Covid-19, muitas das atividades que desempenhávamos fora de casa foram transferidas temporariamente ou não, para o ambiente residencial, muitas vezes não adequado ou adaptado para essas atividades.

Home office é um dos assuntos que está em alta desde março de 2020 segundo o Google trends. Esse assunto, bem como sua busca, mostra a necessidade de nos adequar à realidade da melhor forma possível, seja ela qual for.

Outro ponto importante é o crescimento no interesse pela ciência, que pode desencadear resultados muito positivos em função de uma nova mentalidade.

Observação: Mais adiante há um check list de 8 pontos de desempenho de um home office se estiver interessado(a) apenas em uma lista fácil de referência para seguir.

Antes de continuar, lembre de curtir a publicação e se cadastrar para receber atualizações de conteúdo.

Bom, Home office é um ambiente de trabalho e estudo. Nele são realizadas tarefas de foco, concentração e esforço mental. Para tal é necessário pleno equilíbrio das funções físicas básicas para que elas não interfiram negativamente na atividade cerebral: respiração, visão, audição, temperatura corporal, postura.. quaisquer que sejam as funções relacionadas a seu corpo, devem estar em condições ideais de funcionamento. Frio ou calor, postura inadequada, iluminação insuficiente ou excessiva, ruídos externos, partículas sólidas (poeira, por exemplo) ou micro-organismos (ácaros e fungos/mofo), umidade, ventilação inadequada (excessiva ou escassa), dentre outro fatores, podem afetar completamente sua atividade cerebral. Por isso devem ser controladas.

Photo by Karl Solano on Pexels.com

Outra questão importante são os equipamentos, mobiliário e aparelhos relacionados ao ambiente. Eles afetam tanto suas funções básicas, interferindo em conforto e comodidade, como suas funções cerebrais, alterando sua percepção do tipo de tarefa que deve realizar. Afetam diretamente seu desempenho e efetividade.

O tipo de cadeira, a altura da mesa, a coerência da linguagem utilizada no design do ambiente (formal, neutra ou de incentivo a criatividade, por exemplo), as ferramentas que dispõe (computador, câmera, sistema de áudio, papel, livros, etc.) bem como sua qualidade, ou qualquer outra coisa que interfira em sua comodidade e conforto, afetará a funcionalidade do seu ambiente e consequentemente seu desempenho nele.

Quaisquer incoerências ou interferências serão indesejadas e terão consequências negativas. Equipamento ruim, cadeira inadequada, barulhos externos, brinquedos dos seus filhos, divisão do uso do ambiente com outra atividade (sem ter sido planejada uma integração coerente), empecilhos para receber pessoas (caso seja destinado a tal), tudo isso irá afetar seu ambiente e como se relaciona com ele.

Então, em resumo, um Home Office envolve desde salubridade básica até ergonomia avançada ou mesmo a tecnologia das ferramentas de trabalho, bem toda a ciência relacionada. Está tudo ligado à funcionalidade geral do ambiente, que está ligada ao conforto e comodidade, que por sua vez estão subordinados ao corpo humano (físico e mentalmente). Portanto é fundamental o controle das variáveis que afetam o desempenho de qualquer atividade dentro do ambiente.

Na prática, inicialmente é importante determinar o tipo de uso específico o qual será destinado o home office, ou o escritório. É necessário identificar qual é a demanda para determinar a melhor forma de alcançar esta demanda dentro das suas condicionantes (orçamento ou espaço disponível, por exemplo) e varáveis já mencionadas ao longo do texto.

Será de uso apenas pessoal, será de uso profissional, será utilizado para atendimento de pessoas (consultas, reuniões, etc.)? Qual o ramo de atividade demandada? Quais equipamentos precisa para trabalhar? Haverão reuniões online com a empresa ou clientes?

Ao definir o uso final e as principais atividades que serão desempenhadas no ambiente, são traçadas as estratégias de controle das variáveis de conforto, comodidade e funcionalidade.

Abaixo segue um check list das principais variáveis que serão condicionantes no resultado de um bom home office e portanto irão influenciar no bom desempenho do ambiente:

  • Salubridade adequada
  • Iluminação adequada;
  • Ventilação e temperaturas adequadas;
  • Mobiliário adequado e ergonômico;
  • Espaço objetivo, de uso exclusivo, se possível;
  • linguagem adequada do design;
  • Facilidade de identificação do ambiente e seus espaços funcionais bem como fácil acesso a esses espaços (local de produção, de armazenamento, de ferramentas, etc.);
  • Controle de interferências, ruídos e distrações externas.

Confira esta pasta que fiz no Pinterest com 31 referências de home office para diversos usos, do tradicional à música.

É fundamental entender que os fatores acima tem o objetivo de gerar comodidade, conforto, funcionalidade e consequentemente mais desempenho e todos os seus benefícios.

Também é importante conferir se há legislação aplicável (alvará de funcionamento ou se deve atender a lei de acessibilidade para atendimento externo, por exemplo).

Leitura bônus com algumas dicas importantes sobre o mobiliário (podem ajudar em compras online, inclusive):

  • Mesas de trabalho tem entre 75 e 80 cm de altura;
  • Meça o espaço e os móveis que pretende colocar no ambiente;
  • São necessários pelo menos 70cm entre uma mesa e a parede para colocar uma cadeira;
  • Se for receber alguém, prefira ficar de frente para esta pessoa;
  • Verifique se a altura das cadeiras é adequada para a mesa que for utilizar. A altura do assento delas varia de 45 a 50cm, porém existem algumas de 55cm;
  • Saiba que existem cadeiras mais adequadas para longa ou curta permanência nelas, sendo que as de longa permanência tem mais controles, ajustes e flexibilidades que ajudam no conforto;
  • A melhor temperatura de cor para atividades de precisão e concentração é a branca (lampadas de 5000k), porém a temperatura de cor mais confortável para permanência prolongada é a levemente amarelada (lampadas de 3000 a 4000k), assim como a luz do sol;
  • É uma boa opção ter uma fonte de luz confortável e fixa para o ambiente e outra móvel para leitura e afins (como uma luminária de mesa)
  • Além de conferir o tamanho dos móveis, confira o espaço de circulação em volta deles;
  • Ajuda profissional é um investimento que se paga e gera lucro, se não puder pagar por um projeto, invista pelo menos em uma consultoria por hora.

Gostou das informações? Considere se cadastrar para receber atualizações de conteúdo do site. Basta digitar seu e-mail abaixo.

Processando…
Successo! Você está na lista